Make your own free website on Tripod.com
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 .

 

SHEMA ISRAEL, ADONAI ELOHENU, ADONAI ECHAD! DEUT 6:4

 

TERUÁ - A Festa das Trombetas

 

É a quinta festa bíblica instituída por Deus... Sua comemoração deve ocorrer no primeiro dia do mês Tishri, data que marca também o Rosh-Hashanah, o dia do ano novo hebraico. As instruções para celebrar uma festa neste dia, marcada pelos toques das trombetas, shofares em hebraico, está em Levítico 23:23-25. O shofar não é somente tocado nesta festa, ele acompanha todas as festas bíblicas.  Trata-se de um instrumento profético que simboliza verdades espirituais tremendas.

O toque do shofar simboliza, primeiro, a provisão de Deus. Conforme Gn 22:13, foi justamente um carneiro preso pelos chifres num arbusto que Deus proveu para morrer no lugar de Isaque, filho de Abraão. Esta provisão levou Abraão a chamar aquele lugar de Javé-Jireh.  Todas as vezes que se toca um shofar, anuncia-se a bondade de Deus, que proveu Jesus Cristo para morrer em nosso lugar.

Em segundo lugar, simboliza o socorro sobrenatural de Deus. Em Nm 10:9, o Senhor determinou: Quando em sua terra vocês entrarem em guerra contra um adversário que os esteja oprimindo, toque os shofares; e o Senhor, o Deus de vocês, se lembrará de vocês e os libertará dos seus inimigos.  O verso 10 deste mesmo texto acrescenta a necessidade de tocar shofares também nas festas e celebrações a Deus.

Além disto, o toque do shofar também anunciará a volta do Messias, Jesus Cristo. Basta observar a revelação dada pelo Senhor em Mt 24:31, onde Ele anuncia que no dia da Sua volta triunfal, os anjos tocarão shofares.  O apóstolo Paulo, ao ensinar os tessalonicenses acerca da volta de Cristo, avisou que shofares celestiais anunciarão o exato instante do retorno do Senhor (I Ts 4:16).

A festa das trombetas marca o primeiro dia de um mês muito especial no ano hebraico. No 10o. dia após a Festa das Trombetas ocorre o dia do Yom Kipur, o dia do perdão, ou Dia da Expiação (Lv 23:26 ). No 15o. dia deste mesmo mês, e a vez da última das sete festas bíblicas, a Festa dos Tabernáculos (Lv 23:33).

A unção de adoração que o espírito Santo (Yeshua, em espírito - Apoc 3:20)  vem derramando sobre a Igreja tem levado o povo de Deus a redescobrir o valor do shofar e das festas bíblicas.

Shalom Adonai.

 

O TOQUE DO SHOFAR
Por Marcelo M. Guimarães


Israel e o mundo judaico estarão neste mês de setembro (Tishrei) em festa, apesar de enfrentar uma guerra interna que já dura muitos e muitos anos. A celebração das festas, segundo a Bíblia, é algo muito sagrado e profundo. E Israel sabe disso. Mesmo que suas festas sejam sombras Daquele em que um dia ainda crerão: Yeshua (Jesus), o Messias, como diz o apóstolo Paulo ( Co1:12), suas festas são proféticas e falam de reino que há por vir, o reino de D’us e seu Rei, aliás, Rei dos reis, Jesus Cristo, Yeshua Há Mashiach.

A festa do toque do Shofar, também conhecida como festa das trombetas, é totalmente messiânica e anuncia um tempo para arrependimento, do juízo de D’us e da vinda ou da volta (para nós judeus messiânicos e cristãos). Na língua hebraica este dia do toque do Shofar é chamado de Yom Teruá ( dia do Toque, ou dia do som ou alarme do Shofar) e este soar, como se fosse o próprio fôlego ou sopro de D’us, anuncia que o juízo está próximo (Yom Hadin) e que todos nós devemos estar preparados para o grande dia do encontro com o Senhor. O Messias, vem e sem demora, Maran-Atá !

O Shofar , também conhecido como chifre do cordeiro ou antílope, daí variar de tamanho, deve ser tocado não só no primeiro dia do sétimo mês (Lev 23:14 e Nm 29:1),m a chamada Festa das Trombetas, também conhecido no judaísmo como Rosh Hashaná ou dia do Ano-Novo judaico, mas também em outras ocasiões muito especiais. É um papel do sacerdote, do líder da congregação, que através dos tipos de toques, convoca o povo solenemente para uma tarefa específica.

Em Números, 10:1-10, encontramos algumas destas razões para o toque do Shofar:

Primeiro, todos devem se mover, andar, sair da posição em que se encontram. É um chamado de D’us. Para nós, significa, vamos! Avante! Yeshua está voltando e nós temos que estar preparados com nossa “mala”pronta.

Segundo, peguem as armas, pois entraremos em batalha. Sabemos que o espírito do anticristo, o sistema do mundo, o pecado que assedia a humanidade não dão trégua. Estamos numa tremenda batalha espiritual contra as forças do mal e, tudo isto ainda se tornará pior, pois o próprio Jesus anunciou os dias vindouros e temíveis (Yamim Noraim). Há oposições e tribulações pela frente. Os dias são maus. Então, o toque do Shofar nos recorda que D’us estará do nosso lado, dando livramento e cuidando dos nossos inimigos, mas temos que lutar, pois faz parte da vitória e, principalmente, daqueles que serão chamados de vitoriosos, segundo o livro de Apocalipse;

Terceiro, um milagre ou uma intervenção divina acontecerá. Um belo exemplo disso está registrado no livro de Josué (Js 6:8) quando sete sacerdotes tomaram seus Shofarot (trombetas) e no sétimo dia, todos tocaram o Shofar e o milagre aconteceu: As muralhas de Jericó ruíram-se e o inimigo foi derrotado.

Existem inúmeras passagens na Bíblia, mostrando quando o Shofar deve ser tocado. Outros exemplos, como: levar ao povo ao estremecimento e temor ( Am3:6); lembrar que haverá um julgamento e que iremos vitoriosos adorar em Jerusalém (Is 27:13); não permitir que nenhum dos escolhidos de D’us fique disperso, mas que se arrependa dos maus caminhos e trilhe novamente os caminhos do Senhor ( Lev 23; Nm29; Ne 4:20; Jr4:5; etc.). Se entendemos um pouco do judaísmo bíblico, isto faz muito sentido, pois, logo após a festa das trombetas, vem o chamado “Dez dias de Arrependimento”, cujo o último dia é conhecido como o Dia do Perdão ou “Yom Kipur”. O termo “kipur,”do hebraico, vem da palavra “kaporet” ou propiciatório ou cobertura de nossos pecados. Logo depois, temos a maior das festas, a festa de Tabernáculos, onde fala do reino, da vitória dos crentes, da vinda gloriosa do Messias, reinando no milênio. Finalmente, Ele, Jesus, Yeshua, tabernaculará não só mais internamente em nossos corações, mas como também, fisicamente conosco. Oh glória!

Agora, podemos entender um pouquinho do contexto correto do porquê se toca o Shofar. E tudo isto se torna ainda mais claro para nós, quando lembramos das palavras de Jesus que virá em breve arrebatar sua Igreja, os vitoriosos, quando...” Ele enviará os seus anjos com grande clangor de trombeta, os que lhe ajuntarão os escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus...” ( Mt 24:31). Paulo, também fala desta passagem várias vezes, correlacionando o toque do Shofar com a vinda do Senhor, arrebatando sua Igreja (I Co14:8;15:52;I Ts 4:16).

Tudo está muito claro na Bíblia, mas o grande problema é que Igreja gentílica tem muita dificuldade para aceitar estas festas e este tipo de mensagem. A grande razão, na minha opinião, é que a Igreja veio de Roma, onde as raízes judaicas da fé foram rompidas pelos pais da Igreja nos primeiros séculos do cristianismo. Assim, muito das raízes bíblicas judaicas da fé cristã foram perdidas ao longo do tempo, através do qual, costumes pagãos adentrou fortemente no meio do povo de D’us. Mas, agora, graças ao Eterno, nós como judeus messiânicos, estamos re-descobrindo nossas próprias raízes, e restaurando tudo aquilo de belo, profundo e de grande unção que D’us sempre teve, tem e terá reservado para nós, seus filhos, crentes em Yeshua. Afinal, não devemos perder de vista que a Igreja gentílica, em Cristo, foi enxertada na “oliveira”que é o Israel espiritual de D’us, participando, assim da mesma seiva (bênçãos e promessas) dadas ao povo escolhido na primeira aliança.

Resumindo, o som do Shofar deve nos levar ao arrependimento e à dependência total de D us que cuida dos nossos inimigos. Mas, marchemos para frente e não devemos retroceder. Permaneçamos no Caminho, na Verdade, recebendo a vida abundantemente do Messias Yeshua. O som do Shofar nos mantém alertas e tementes, pois, a qualquer hora, Ele virá e ninguém sabe a hora. O som do Shofar nos faz recordar dos milagres de D’us para com o nosso povo e que este mesmo D’us continua no controle de todas as coisas. O som da trombeta nos faz estar preparados para o encontro com o Senhor nos ares e para isso devemos acelerar para que todas as profecias concernentes ao povo judeu, a Israel e a Igreja Universal, composta de judeus e gentios crentes em Yeshua, sem nenhum muro de separação (Ef 2:11-19) se cumpram integralmente para que Yeshua volte, ressuscitando mortos e redimindo as nações.

Que a Igreja entenda, profundamente, o toque do Shofar e que possa tocá-lo corretamente e profeticamente. Não simplesmente fazer barulho sem entendimento, soando-o a pretexto de qualquer evento ou encontros festivos dos crentes. É tempo de exortação do próprio D’us à sua Igreja verdadeira, é tempo de arrependimento, esperando pelas milagrosas manifestações divinas, pelo poder, pela glória e livramento sobrenatural. Tudo isto toca a nossa fé, trazendo mais temor, mais tolerância de uns pelos outros irmãos e, sobretudo, mais amor às coisas simples utilizadas pelo Eterno para nos falar de modo simbólico, mas profundo, dos mistérios do próprio D’us de Israel.

 

VISITE A NOSSA LOJA ON-LINE

Temas DVs

HOME

CIC

CONGREGAÇÃO

ISRAELITA

O CAMINHO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.